top of page
  • Foto do escritorNovva

Julho sem plástico

Todos os anos, mais de 12 milhões de toneladas de lixos plásticos são despejados nos oceanos, de forma que a importância do movimento Julho sem Plástico já fica evidente.

Apesar da relevância da iniciativa, nem todos a conhecem e muitas pessoas têm dúvidas de como, de fato, diminuir o uso de plástico. Pensando nisso vamos explicar tudinho a seguir:


O que é o Movimento Julho sem Plástico?

O Movimento Julho sem Plástico surgiu em 2011, na Austrália, sendo proposto pela Earth Carers Waste Education, que incentivava as pessoas a diminuírem o uso de plásticos descartáveis durante esse mês.

Dada a gravidade do problema, em pouco tempo, a campanha repercutiu globalmente, ganhando adeptos em diversos países.

Com essa adesão, surgiu a fundação Plastic Free July, criada pela ativista ambiental Rebecca Prince-Ruiz.

Segundo dados de 2018 da fundação, mais de 120 milhões de pessoas em 177 países estavam engajadas com a campanha, o que ajudou a diminuir a produção de lixo e evitou 490 milhões de quilos de resíduos plásticos.

Por que aderir ao movimento?

Um relatório do World Wide Fund For Nature (WWF) revelou que 75% do plástico produzido desde o ano 2000 já virou lixo, o que significa que esse tipo de produto é, primordialmente, descartável.

Infelizmente, o Brasil contribui tristemente para esses índices uma vez que é o 4º maior produtor de lixo plástico no mundo e recicla menos de 2% do lixo plástico produzido anualmente no país.


Um dos principais motivos para aderir ao Movimento Julho sem Plástico é os danos causados por esse material ao ecossistema marinho, uma vez que os oceanos estão entre os principais destinos desse tipo de lixo, comprometendo a vida marinha e causando sofrimento aos animais.

Além disso, todo o meio ambiente é prejudicado pela produção desproporcional e descarte indevido do plástico que é usado, principalmente, em embalagens.

Mas o meio ambiente e a fauna marinha não são os únicos prejudicados pelo uso demasiado de plástico.

Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) detectou nove tipos de microplásticos em pulmões humanos, sendo que os fragmentos estavam presentes em 13 dos 20 voluntários participantes da pesquisa.

Estima-se que estamos – nós humanos – consumindo entre 39 e 52 mil partículas de microplástico anualmente, número que podre ser maior ao considerar a inalação de micropartículas do material.

Dicas para reduzir o uso de plástico!

Sim, temos bons motivos para aderir ao Julho sem Plástico e diminuir o uso de plástico. Confira algumas dicas a seguir!

compartilhe nas suas redes sociais as iniciativas que têm adotado para diminuir o uso de plástico e promova as tags da campanha #PlasticFreeJuly e #julhosemplástico;

opte sempre por marcas que promovam a consciência ambiental e que buscam diminuir o uso de plástico seja nas embalagens dos produtos – e até na composição – e também nas caixas de entrega;

sempre que possível compre produtos com refil e utilize esse modelo para diminuir a produção de lixo;

evite produtos cosméticos com microplásticos na composição;

opte por produtos sem embalagem plástica, como o shampoo e condicionador sólido em vez da opção tradicional;

ande sempre com uma sacola reutilizável para caso faça compras ou precise descartar um lixo quando está na rua;

tenha uma garrafa de água com você – preferencialmente não de plástico por conta da sua saúde – e evite comprar esse tipo de embalagem;

compre produtos a granel levando potes reutilizáveis de casa e reduza a compra de produtos embalados com plástico;

prefira canudos de papelão ou carregue uma versão de metal com você.


Comments


bottom of page